Lojas com História o impacto é reduzido nos negócios

O dístico “Loja com História” foi até agora atribuído pela Câmara Municipal de Lisboa (CML) a 86 estabelecimentos comerciais.

Mariza Gonçalves

16/09/2018

O dístico “Loja com História” foi até agora atribuído pela Câmara Municipal de Lisboa (CML) a 86 estabelecimentos comerciais, quatro dos quais localizados na nossa freguesia. Neste momento. estão em análise mais dois estabelecimento: o restaurante "O Polícia" e a "Sapataria Berna".

Estas duas propostas da CML foram contestadas pela Junta de Freguesia que deu um parecer negativo à classificação dos referidos estabelecimentos, considerando que "não correspondem aos parâmetros de atribuição". O parecer não foi atendido pela CML porque "não está suportado em factualidade nem identifica os parâmetros exigíveis e que não estarão em seu entender correspondidos pelos estabelecimentos candidatos".

O programa “Lojas com História” foi criado em 2015, para preservar e a dinamizar o património associado ao comércio enquanto elemento distintivo e diferenciador da cidade. Para os autarcas, no comércio “reside uma parte relevante da identidade e carácter da cidade e que é, ao mesmo tempo, um importante mecanismo social e económico para o seu desenvolvimento”.

Para apoiar a manutenção e fomento das características genuínas a CML criou o Fundo Municipal “Lojas com História”. Além de apoios financeiros previstos neste regulamento, a Edilidade promoveu a criação da identidade visual do programa, no âmbito da qual foram desenvolvidos suportes promocionais e ainda a constituição de uma equipa municipal dedicada aos lojistas. Até agora, o programa teve pouco impacto no desenvolvimento dos negócios.f

Lojas com História:

Galeto snack-bar
Snack-bar, serviço de restaurante. Aberto até de madrugada.

O Galeto, restaurante e snack-bar, foi inaugurado a 29 de Julho de 1966 por seis sócios emigrados no Brasil. O projecto foi dos arquitectos Joaquim Bento d`Almeida e Victor Palla que desenvolveram o conceito de snack-bar. No Galeto não se trata apenas de comer ao enorme balcão, com 150 lugares e classificado pelo Instituto Português do Património Arquitectónico.

O desenho dos balcões, à semelhança de um labirinto, confronta-nos com o cliente desconhecido no balcão da frente, criando uma singular atmosfera de cumplicidade e solidariedade. Antigamente a entrada era seleccionada: chegou a ter um porteiro à porta e não passava ninguém que não tivesse uma boa apresentação e trato na roupa.

No cardápio há 170 pratos desde comida tradicional, pastelaria, gelataria e esplanada. Os pratos da especialidade são o bife tártaro, o churrasco à gaúcha, os combinados (sanduiches bem grandes), o bife e o hambúrguer, considerado como um dos melhores da cidade. Ah! e tem o “meio termo” que não vem no menu, mas todos os frequentadores conhecem: apenas significa que se quer metade de cada um dos acompanhamentos no seu prato (arroz/batata/esparregado).f

Morada: Avenida da República 14 1050-191 Lisboa Telefone: (+351) 21 354 4444 (+351) 21 353 3646 E-mail: galeto@netcabo.pt
Horários: Todos os dias entre as 07h30 – 03h30. Encerra no 1.º de Maio

Pérola do Chaimite
Qualidade criteriosamente seleccionada dos seus produtos e atendimento.

Mal se entra sente-se o aroma a café, enquanto as cores dos doces e rebuçados regalam os olhos. Trata-se da Pérola do Chaimite que abriu em 1938 por iniciativa Isidoro Teixeira, um comerciante que trazia a experiência e o selo de qualidade da já bem sucedida Carioca, no Chiado.

Ainda hoje é um um negócio familiar que privilegia os produtos de origem nacional e qualidade reconhecida. Tem muitos produtos regionais (bolachas e biscoitos da Fábrica Paupério, poncha da Madeira, ginginha do Marvão, ameixas d’Elvas, rebuçados da Régua, súplicas de Aveiro, areias de Sintra, peixinhos de Azeitão, etc). Para além do chá e do café, e de todos os acessórios (cafeteiras, balões de vidro, bules, infusores), vende também aguardentes, licores, compotas e mel.

Nota: a placa da CML a assinalar que se trata de "Loja com história" mal se vê.f

Morada: Avenida Duque de Ávila 38-38A, 1050-083 Lisboa Telefone: (+351) 21 314 03 61 E-mail: peroladochamite@gmail.
Horários: das 09h00 às 19h00 de segunda a sexta e das 09h00 a 13h00 aos sábados

Casa Xangai
Textéis, enxovais e roupa de cerimónia para crianças.

Logo de entrada uma surpresa na Casa Xangai. Fomos recebidos por Rita Soares da Fonseca que acabava de atender uma cliente. Quando esta passou por nós desejou-nos um simpático bom dia. Só depois demos conta de que se tratava da ex-primeira dama Maria Manuela Ramalho Eanes, mulher do nosso 16.º presidente da República!

A casa nasce por iniciativa de Caetano Soares da Fonseca, em 1953, o primeiro membro da família a arrendar o espaço onde funcionou anteriormente a Alfaiataria Xangai com produtos provenientes da China. O espaço que ainda permanece à mesma família, foi transformado num estabelecimento de venda de roupa interior para homem, senhora e criança de grande qualidade. Passa a ser então conhecida como Casa Xangai.

A actual loja foi projectada pelo arquitecto Manuel Norte Júnior, com um mobiliário de linhas puras e montras interiores largas características da transição da arte déco para o modernismo. Ainda hoje, mantém esta decoração elegante.

A loja manteve durante muitos anos a fábrica de roupa de bebé e criança, confeccionando-a manualmente, chegando a ter como clientes a Casa Real de Bragança e outras Casas Reais do norte da Europa. Hoje este mercado está dominado pelas grandes marcas internacionais. O pedido mais frequente é o lenço com calendário que traz clientes de volta ano após ano, assim como a qualidade das marcas, como a Laranjinha para a roupa de criança, a Falke e a Hanro para a roupa interior de adulto (uma marca suíça com produção nacional).

Rita Fonseca quer manter o tipo de serviço que sempre foi reconhecido na Casa Xangai com educação, elegância e muita classe. A personalização do serviço é tal que quando chega um artigo que vai agradar a um certo cliente, liga a avisar. “Este tipo de serviço e atendimento personalizado, fruto de muita dedicação, estão em vias de extinção” afirma. Com o advento das grandes áreas comerciais, as pessoas não fazem despesa no comércio local”. Se não fosse a proibição da alteração de renda das “Lojas com história”, já actualizada para os valores de hoje, “não sei quanto tempo mais continuaria aberta”.f

Morada: Avenida da República 19-A, 1050- 185 Lisboa Telefone: (+351) 21 314 0857 (+351) 21 314 0611 E-mail: xangai@mail.telepac.pt
Horários: Todos os dias das 09h30 às 18h30

Pastelaria Versailles
Salão de chá, pequeno-almoço, almoço, jantar, café e bebidas.

A Versailles foi fundada a 25 de Novembro de 1922 por Salvador José Antunes, um português que adorava a pastelaria francesa e a arte, inicialmente na Avenida da República n.º 15, a nova casa, no estilo de Luís XIV, tinha um ambiente muito seleccionado decorado com pinturas de Benvindo Ceia, retratando os lagos de Versailles, e o trabalho em talha por Fausto Fernandes.

Frequentada por diversas personalidades lisboetas, a Versailles tinha um atendimento distinto feito por empregados com “fardas impecáveis”. Nem tudo correu de feição. As avenidas novas mudaram bastante e entre os anos 80 e 90, a ocupação residencial diminuiu muito, o que mudou fortemente a vida do café. A pastelaria chegou a falir em 1985, tendo sido adquirida por nove sócios, seus actuais proprietários.

A nova gerência fez obras para adequar o estabelecimento à restauração, e alguns restauros nas pinturas e ornamentação. Com 96 anos, a Versailles quer manter a cultura e a forma elegante de atender o cliente. Mas existem novos desafios: a manutenção é cara, pois o tecto e a talha dourada das paredes obrigam a limpezas complicadas de dez em dez anos.

Para aumentar as receitas, realizam eventos de forma a conseguir manter os espaço aberto. Chegaram a fazer casamentos e baptizados. Para gerir melhor os seus recursos humanos passaram a fechar às 00h00; os almoços funcionam entre as 12h00 as 15h00. Só a partir desta hora, a Versailles se transforma num salão de chá à semelhança
dos velhos tempos. Os produtos mais requisitados são o croquete de vitela, os duchesses e o bolo de chocolate da Versailles.

Durante o dia, a pastelaria é frequentada por clientela oriunda das grandes empresas que existem nas redondezas. Ao fim de semana, o ambiente muda. Os clientes são agora moradores da zona e o ambiente torna-se mais familiar. Alguns vêm de longe para conhecer a pastelaria e dar a conhecer o espaço aos mais novos. Têm recebido também mais turistas nos últimos anos.f

Morada: Avenida da República 15-A 1050-185 Lisboa Telefone: (+351) 21 354 6340 (+351) 93 519 1537 E-mail: versailles.lda@sapo.pt
Horários: todos os dias entre as 07h15 e as 24h00

opinião

Dê-nos a sua opinião

NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

REGRAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.fregues.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.fregues.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.