Cabecero Avenidas Novas

debate

Bairro Santos luta contra o isolamento

Limitado pela linha ferroviária que divide a freguesia de Avenidas Novas e rodeado por três focos de habitações sociais, o Bairro Santos ao Rego continua a lutar para combater o isolamento. A comunidade passou estar limitada a nível de acessibilidade e mobilidade.

Redacção

19/04/2018

José Marinho, membro da Assembleia de Freguesia de Avenidas Novas, afirma que “as pessoas que vivem na zona habitacional que vai desde o Hospital do Rego até à Praça de Espanha, deixaram de fazer vida no Bairro”. A restauração e o comércio tradicional, foram os sectores mais afectados. O Mercado do Rego foi perdendo, gradualmente, comerciantes e os seus clientes habituais. Os espaços que se mantêm a funcionar fecham, na sua maioria, às 18h00. 

Ao mesmo tempo, os moradores do Bairro viram tornar-se mais difícil aceder a serviços, localizados no centro da freguesia, do outro lado da passagem ferroviária. Apesar de existir uma passagem pedonal aérea, atravessar a via férrea passou a ser um problema, por causa das constantes avarias nos elevadores: no Inverno, inundam; no Verão, o calor impede o seu correcto funcionamento.


Transportes insuficientes


A maioria da população é idosa e não possui viatura própria e a deslocação ao centro da freguesia é difícil e até "penosa na maioria dos casos". Em 2017, e depois de muito tempo de espera e contestação, foram realizadas obras de reabilitação naquela passagem pedonal. José Marinho considera não serem a solução ideal para resolver o problema do isolamento, mas que representaram uma melhoria significativa para os habitantes. "O isolamento ou não de uma zona é apenas uma vontade política", afirma.

Em termos de transportes públicos, o panorama não é famoso. A estação de Metro mais próxima (Palhavã) fica na Praça de Espanha. Outra possibilidade passa por apanhar o autocarro 731. Para colmatar a carência de transportes, a Junta de Freguesia criou o serviço “porta a porta”: trata-se de uma carrinha que percorre os principais pontos, ruas e serviços da freguesia, desde serviços de saúde, finanças e educação. O transporte é gratuito e funciona das 9h00 às 17h00. 

Sem esquadra, a insegurança aumenta 

A par dos problemas de mobilidade, os moradores do Bairro Santos viram a 31.ª Esquadra da Polícia de Segurança Pública(PSP) ser deslocada para São Domingos de Benfica. Há um polícia destacado para o mercado e "de vez em quando lá se vê um carro (PSP) a patrulhar as ruas, mas é só". 

No caso de alguma ocorrência, quem responde é a Esquadra da Penha de França que, afirma José Marinho, demora em média uma hora para chegar “se tiverem carro". Em casos mais graves ou urgentes, é a Esquadra de Benfica que presta apoio. Em Abril do ano passado, foram entregues na Assembleia da República, pela Junta de Freguesia de Avenidas Novas, as assinaturas recolhidas no âmbito de uma petição para a reposição da esquadra. José Marinho acredita que "em dois ou três anos, se o projecto para a alteração da Praça de Espanha se mantiver, a nova esquadra estará pronta e de volta às Avenidas Novas".

Estudantes revitalizam 

A cidade universitária tem ajudado, em parte, a contrariar a tendência de isolamento do Bairro Santos, na medida em que vai fixando uma população mais jovem, pelo menos durante o tempo dos cursos.f

opinião

Dê-nos a sua opinião

NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

REGRAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.fregues.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.fregues.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.