Cabecero Avenidas Novas

Freguesia lidera reabilitação de habitação

As Avenidas Novas foi a única zona de Lisboa em que a valorização acelerou face ao ano anterior (2017).

Redacção

19/04/2018

A reabilitação de habitação em Lisboa registou uma maior dinâmica na zona das Avenidas Novas, onde se verificou "o maior aumento dos preços médios de oferta", entre 2017 e 2018, segundo um estudo "Reabilitação para Uso Residencial em Lisboa 2018" da consultora Prime Yield. Naquele período registou-se uma subida de 9,8% para os 6.056 euros por metro quadrado".

Segundo o estudo, a zona das Avenidas Novas "foi mesmo a única em que a valorização acelerou face ao ano anterior (em 2017, o valor médio de oferta tinha subido 6,6%)", verificando- se também um reforço como destino de investimento para a reabilitação residencial, "concentrando agora 14% da oferta em comercialização (10% em 2017)". "O investimento em projectos de reabilitação para uso residencial continua a exibir um elevado dinamismo em Lisboa, com os preços dos apartamentos integrados neste tipo de empreendimento a exibirem crescimento em todas as zonas analisadas, ao mesmo tempo que o investimento tende a apresentar uma distribuição cada mais equilibrada entre as diferentes zonas", revelou a consultora. 

Em termos do tipo de oferta, as tipologias T1 e T2 continuam a ser predominantes nos projectos em desenvolvimento, concentrando mais de metade do "stock".

Reconversão de escritórios

Outra tendência que se está a verificar, tem a ver com a reconversão de escritórios para o mercado residencial. "Muita da reabilitação para residencial,que está a ser feita nas zonas mais centrais destas cidades, tinha um uso anterior de escritórios, que pagam substancialmente menos do que a habitação", diz Carlos Oliveira, director da Cushman & Wakefield. No seu relatório “Marketbeat 2018”, "o sector residencial continua a ser mais rentável no centro da cidade, o que leva à mudança de uso de alguns imóveis de escritórios mais antigos ou obsoletos e que poderá acentuar uma tendência de descentralização da histórica zona prime de escritórios".


Interesse estrangeiro aumenta

O interesse de estrangeiros em se estabelecerem na freguesia também está a crescer. Um sinal desta tendência foi a compra do Palacete Henrique Mendonça, Prémio Valmor em 1909 que pertenceu à Universidade Nova de Lisboa até 2016, pelo príncipe Aga Khan para acolher a nova sede mundial do Imamat Ismaili.f

opinião

Dê-nos a sua opinião

NOTA: As opiniões sobre as notícias não serão publicadas imediatamente, ficarão pendentes de validação por parte de um administrador.

REGRAS DE USO

1. Deverá manter uma linguagem respeitadora, evitando conteúdo malicioso, abusivo e obsceno.

2. www.fregues.pt reserva-se ao direito de eliminar e editar os comentários.

3. As opiniões publicadas neste espaço correspondem à opinião dos leitores e não ao www.fregues.pt

4. Ao enviar uma mensagem o utilizador aceita as normas de utilização.